…No terreiro eu passo por ti
Mas da graça eu vejo-te nua
Quando um pombo te olha, sorri
És mulher da rua
E no bairro mais alto do sonho
Ponho o fado que soube inventar
Aguardente de vida e medronho
Que me faz cantar…
Lisboa Menina e Moça, Carlos do Carmo

Corgo da Vaca Turismo Rural Odemira Alentejo destilaria

A Aguardente de Medronho do Corgo da Vaca inicia-se com a apanha, durante o outono. O fruto, de excelente qualidade, é armazenado em cubas, onde fica no período de fermentação, entre trinta a sessenta dias. Após este processo, fica em repouso por mais sessenta dias. Depois de uma longa espera, faz-se então a transformação final –  destilação (condensação dos vapores de álcool que escapam mediante o aquecimento do mosto fermentado). A Aguardente de Medronho do Corgo da Vaca é produzida em destilaria tradicional, através de fogo direto, o que naturalmente a distingue pela sua transparência, e o inquestionável cheiro e gosto a medronho.

Esta é uma experiência que pode vivenciar e participar, tanto na colheita do medronho, como na produção da aguardente.